TRT mantém justa causa de empregada que foi trabalhar em frigorífico com suspeita de covid

Logo da Radioagência TRT com o texto de apoio "Notícias/Decisão"

Por Zequias Nobre

O TRT de Mato Grosso negou o pedido de uma trabalhadora para reverter a justa causa que levou após ir trabalhar mesmo estando com atestado médico por suspeita de covid. A decisão é da 2ª Turma do Tribunal.

A trabalhadora era empregada do frigorífico Marfrig, no município de Tangará da Serra.

No processo, ficou provado que ela descumpriu as normas da empresa de prevenção à covid. Entre elas, de que pessoas que estivessem se sentissem mal ou acometidas da doença não deveriam entrar no estabelecimento, devendo os atestados serem entregues diretamente no ambulatório médico.

Conforme os magistrados que analisaram o caso, a conduta da trabalhadora se caracterizou como mau procedimento, passível de punição com a justa causa.