TRT ENTREVISTA - Palestrante fala sobre desafios do home office e da volta ao trabalho presencial

Pessoa digitando em um notebook

Com o avanço da vacinação, muitas empresas que adotaram o home office por causa da pandemia estão chamando os profissionais para o trabalho presencial. Depois de tanto tempo atuando de casa, o retorno pode trazer algumas inquietações. Para falar sobre o tema, a Entrevista da Semana da TRT FM traz o palestrante Álvaro Fernando.

Confira na Radioagência TRT

Álvaro, que é autor do livro "Comunicação e persuasão - O Poder do Diálogo", fala sobre a importância de levar a vida de uma forma mais leve e de valorizar os relacionamentos.

A Entrevista da Semana vai ao ar toda segunda-feira, a partir das 8h, dentro do programa TRT Notícias. Para ouvir, basta sintonizar a frequência 104.3MHz (região metropolitana de Cuiabá) ou acessar o endereço www.trtfm.com.br. Também é possível ouvir em sites e aplicativos de rádio, como o Rádios, entre outros serviços semelhantes.

Confira os principais trechos da entrevista:

Como se preparar para voltar ao trabalho presencial?

Esse é o assunto da vez em todo mundo. Todos falam nisso. Nunca imaginamos que um dia poderíamos ser privados de todas as nossas relações. Isso trouxe o encontro com o ineditismo da vida. E como tudo que acontece na vida, a gente vai se adaptando. Muita gente mudou de cidade, foi para mais perto da natureza.

Pensando nisso, preparei um trabalho muito interessante que chama O Tom da Retomada. Cada um vai dar seu tom. É como na música, cada cantor tem um tom. É um debate interessante sobre aquilo que talvez estejamos esquecendo, que é importante na nossa vida e é necessário recuperar para fazer a roda da vida gerar.

Como se preparar para esta nova etapa?

É importante observar seus maiores interesses e seu propósito de vida. Quero voltar ao presencial ou não? Tudo aquilo que vai deixando a gente parado, para começar a andar é preciso fazer uma força.

Quais são os seus maiores objetivos de vida, os mais elevados? Onde de fato quer chegar para fazer uma melhor avaliação da volta ao presencial ou híbrido ou teletrabalho?

Eu sou nômade digital desde dois anos antes da pandemia. O nômade digital tem algumas características, como se tornar uma pessoa minimalista. Já que vai viajar o tempo todo, abre mão de tudo isso para viajar. Estava fazendo isso há dois anos, fazendo palestras etc. Tive oportunidade de fazer algumas viagens como ficar oito noites em uma aldeia no Acre. Fui para o farol do fim do mundo, em Ushuaia. Quando estourou a pandemia eu estava em Chernobyl. Com essa vontade que eu tinha de viajar, fazia todo sentido que meu trabalho não fosse fixo em um lugar.

Faço essa reflexão porque muita gente despertou um pouco a vontade de uma outra vida que apareceu. Agora estamos em um momento que precisamos misturar isso. Não precisamos olhar para aquilo que tínhamos e falar que aquilo é bom e ficou ruim ou vice-versa. Temos que pensar como misturar isso de forma gostosa.

Comunicação é importante no trabalho?

A comunicação é a habilidade mais importante do profissional contemporâneo. A facilidade de comunicação está entre as habilidades que podem ser desenvolvidas.

Quando escrevi meu livro sobre as quatro habilidades da comunicação e viajei o Brasil inteiro fazendo palestra sobre isso tive grande receptividade das pessoas. O livro fala sobre sinceridade e honestidade e se opõe a todos os processos de manipulação e influência.

Manipular ou influenciar as pessoas de forma a levar alguma vantagem só vai trazer problemas na sua vida. O meu livro propõe o contrário. Confie nas pessoas. Faça com que as pessoas compreendam que você é uma pessoa confiável com a qual podem contar. Isso é o que vale na nossa trajetória.

A pandemia acelerou o uso de todas as formas de comunicação. Fale um pouco sobre a importância de se conectar ao presente.

As pessoas vivem muito no futuro e no passado. Quando pensamos no futuro surge um tipo de angústia, preocupação e ansiedade. Quando vai para o passado é comum que a mente se agarre em arrependimento ou culpa do que foram suas escolhas. Mas quando se está apaixonado por alguém ou está brincando com uma criança ou mesmo jogando futebol com os amigos, a gente vem para o momento presente. É o momento que nos sentimos felizes.

Viver o presente é uma batalha nesse mundo contemporâneo.

No seu livro você fala sobre saber brincar. Qual a importância dessa dica nesse período de pandemia e no retorno ao presencial?

No dia 6 de dezembro vamos fazer no TRT uma oficina do Tom da Retomada onde vamos tratar sobre isso. Quando falamos de saber brincar, não é fazer gracinha ou por apelido nos outros. O saber brincar é tratar a vida com leveza, com tranquilidade.

Quando tudo é muito positivo, é fácil se manter leve. Mas o saber brincar que a gente trata no livro é o saber olhar para a gente de uma maneira leve e compreensível quando as coisas não estão dando muito certo. É necessário, por exemplo, perceber quando seu colega não está muito bem e oferecer ajuda. Falar: “calma vamos resolver isso juntos”. Isso é saber brincar. É também empatia com o próximo.

(Comunicação Social)

 

 

 

 

Gestor da Informação: