ESPAÇO NASSAR - Conheça entidade parceira do TRT de Mato Grosso na coleta seletiva

Todas as sextas-feiras um voluntário se posiciona na entrada de serviços do Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso (TRT/MT) para recolher materiais recicláveis trazidos de casa por magistrados, servidores e comunidade local. O serviço, prestado de forma gratuita pelo Espaço de Empreendedorismo Social Nassar desde 2017, ajuda a solidificar a cultura da reciclagem na Justiça do Trabalho em Cuiabá.

A coleta de materiais propicia que o público interno do Tribunal e do Fórum trabalhista da Capital faça o descarte correto de itens que antes iam parar no lixo comum e ajuda o Tribunal a cumprir sua visão institucional de ser reconhecido pela promoção da sustentabilidade.

Entre os resíduos recolhidos todas as sextas-feiras estão papel, vidro, plásticos, metais, escovas de dentes, esponjas de louça e óleo de cozinha. Eles são posteriormente doados a cooperativas de catadores da região metropolitana de Cuiabá – gerando renda para dezenas de famílias - e recebem a destinação final adequada.

O Nassar nasceu no início da década de 90 com a intenção de construir um futuro diferente e mais sustentável na Capital. É o que explica Cedier Nogueira, voluntário da entidade há 25 anos e que comparece, quase todas as sextas, sempre com um sorriso, para recolher os recicláveis entregues no Tribunal.

Mas se engana quem acha que a instituição faz apenas a coleta de resíduos na baixada cuiabana. O Nassar (sigla que significa Natureza, Amor, Saber, Simplicidade, Amizade e Realização) tem como objetivo promover o empreendedorismo social e o despertar da consciência para as questões relacionadas ao meio ambiente.

O projeto é amplo e possui várias atividades, como o Luxo sem Lixo, no qual os artesãos recebem materiais que iriam para o lixo e produzem bolsas e acessórios para serem vendidos. Para muitos, esse artesanato é a principal fonte de renda. Além disso, alguns dos voluntários participam de um coral, que já está na ativa há cerca de 10 anos.

Cedier Nogueira explica que a instituição está baseada no conceito dos “3R”, isto é: reduzir, reciclar e reutilizar. Segundo ele, todos já sabem que acúmulo de lixo é grave problema social e ambiental, mas poucos estão sensíveis à causa. “É preciso ter consciência ambiental. O vidro, por exemplo, leva mais de mil anos para se deteriorar. Uma bituca de cigarro são 50 anos e o copo plástico, 150”, alertou.

Com sede no bairro Coophema, na região do Coxipó, as ações do Nassar são realizadas por cerca de 40 voluntários comprometidos em preservar a natureza por meio das ações de sustentabilidade.

Segundo Cedier, ajuda financeira e novos voluntários são sempre bem-vindos. “Quem tiver interesse em participar, basta mandar a solicitação para o e-mail nassar.sfu@gmail.com”.

(Sinara Alvares)

 

 

 

 

 

Gestor da Informação: