TRT de Mato Grosso recebe pelo segundo ano selo Diamante do CNJ

CNJ
Selo_Diamante2015.jpg
Presidente Edson Bueno recebeu o selo Diamante durante o 9º Encontro Nacional do Poder Judiciário

A confiabilidade dos dados estatísticos do TRT de Mato Grosso foi, pelo segundo ano consecutivo, motivo de premiação nacional concedida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Assim como ocorrido em 2014, o Tribunal recebeu nesta terça (24) o selo Diamante, a mais alta categoria do prêmio Justiça em Números.

A condecoração foi entregue ao presidente do Tribunal, desembargador Edson Bueno, durante a programação do 9º Encontro Nacional do Poder Judiciário, realizado em Brasília. A vice-presidente, desembargadora Beatriz Theodoro, também esteve presente na solenidade.

Segundo o presidente, o selo diamante é, mais uma vez, o reconhecimento dos serviços prestados por todos os servidores e magistrados, “aos quais dirijo os mais sinceros agradecimentos”.  Segundo ele, o prêmio mostra que o Tribunal está no caminho certo, e que vem “desempenhando com zelo e dedicação seus compromissos com a sociedade”. 

A premiação entregue ao Tribunal mato-grossense é fruto de um trabalho que se iniciou há cerca de oito anos na instituição e que envolveu dezenas de magistrados e servidores, bem como o empenho das administrações dos desembargadores João Carlos, Osmair Couto, Tarcísio Valente e, a mais recente, Edson Bueno.

No TRT de Mato Grosso, os trabalhos na área de estatística começaram com a implementação, no ano de 2008, das Tabelas Processuais Unificadas, uma padronização da forma de registro dos atos processuais, das classes e dos pedidos para todo o judiciário, determinada pelo Conselho Nacional de Justiça.

Posteriormente, em 2011, o Tribunal deu início ao processo de implantação do sistema e-Gestão, uma nova ferramenta nacional de estatística. O processo demorou cerca de 2 anos e demandou, como na etapa anterior, enormes esforços de servidores e magistrados, em especial pela necessidade de recontagem dos processos físicos e saneamento dos dados.

O prêmio

Além do TRT de Mato Grosso, outros sete tribunais brasileiros receberam o selo Diamante: Superior Tribunal de Justiça (STJ), Tribunal Superior do Trabalho (TST), Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (PE), Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR), Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região (ES), Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) e Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE).

O nome do prêmio é em referência ao anuário estatístico da Justiça produzido pelo CNJ com base nas informações fornecidas pelos 91 tribunais do país. A condecoração tem o objetivo incentivar as instituições a aperfeiçoar a qualidade das informações que alimentam o Justiça em Números e que servem de base para a elaboração de políticas de aprimoramento da gestão.

 

 

(Zequias Nobre)

Gestor da Informação: