Gestão Socioambiental

Páginas

Apresentação

As ações de cunho socioambiental tiveram início, em 1994, com o Projeto Reciclar, implantado com o objetivo de realizar a coleta seletiva de papel, alumínio e plástico e de conscientizar magistrados e servidores sobre a importância da preservação ambiental. Outra ação marcante que perdura no tempo, desde 1996, são as sucessivas comemorações da Semana do Meio Ambiente, cujas programações envolvem atividades como apresentação de talentos do TRT23, lançamento de projetos, palestras, cursos, oficinas, exposição de artesanatos e distribuição de mudas de árvores.

Em 2006 foi implantado, no edifício-sede do TRT e nas Varas do Trabalho do interior, o Projeto Vara da Cidadania, com objetivo de promover a inclusão digital e social do indivíduo, em especial da população de baixa renda, através de cursos de informática básica e acesso livre à internet para realização de pesquisas. O projeto encontra-se interrompido em razão das severas restrições orçamentárias impostas ao Judiciário Trabalhista. 

A partir de 2008 a sustentabilidade predial passa a ser considerada em todas as obras de construção e reforma. Nesse mesmo período, as ações de responsabilidade socioambiental passam a ser desenvolvidas em consonância com o Plano de Gestão Estratégica 2008-2013, em cujo mapa estratégico institucional está inserido o objetivo “ampliar e fortalecer projetos voltados à responsabilidade social e ambiental” o Tribunal dá importantes passos na formalização desta responsabilidade, que está intimamente atrelada aos preceitos da sustentabilidade. Por meio da Portaria TRT/GP/DG n. 548/2008, foi constituída a Comissão de Gestão Ambiental do TRT 23ª Região, em consonância com a Recomendação n. 11/2007 do CNJ e com as políticas públicas de proteção ambiental. Em 2010, por meio da RA n. 150/2009, inseriu na estrutura organizacional a Seção de Gestão Socioambiental, com o firme propósito de fortalecer a responsabilidade socioambiental do TRT da 23ª Região. 

Para consolidar a política voltada para redução de impactos ambientais negativos, o TRT da 23ª Região editou a Resolução Adminstrativa 164/2010 contendo delimitação de áreas dos ambientes de trabalho e recomendações de cunho socioambiental a serem adotadas na elaboração de projetos de reforma ou construção de imóveis novos no âmbito do Regional. Em todos os casos, a escolha de materiais, equipamentos e métodos construtivos observam as possibilidades de mitigação de impactos ambientais.

De lá para cá, o compromisso com a sustentabilidade aprofundou-se e passa a fazer parte da visão de futuro do Tribunal (Plano de Gestão Estratégica 2014-2020). No perfil institucional, a Responsabilidade Socioambiental constitui um dos atributos de valor do TRT 23ª Região, traduzido como “exercer de maneira planejada e sistemática ações voltadas para o desenvolvimento comunitário, equilíbrio ambiental, tratamento justo às pessoas e comunicações transparentes”.

De forma a contribuir para o fortalecimento da sustentabildade na adminstração pública, o TRT23 participa ativamente da elaboração e revisão de importantes documentos que disciplinam a gestão socioambiental no Poder Judiciário Federal, entre eles o Guia de Contratações Sustentáveis da Justiça do Trabalho (Res. CSJT 103/2012), a Política Nacional de Responsabilidade Socioambiental da Justiça do Trabalho (Ato Conjunto n.24/2014) e a Resolução CNJ nº 201/2015, que dispõe sobre a criação e competências das unidades ou núcleos socioambientais nos órgãos e conselhos do Poder Judiciário e implantação do respectivo Plano de Logística Sustentável (PLS-PJ)

Por fim, em atendimento a Resolução CNJ nº 201/2015, este Regional institui, por meio da Portaria TRT/SGP/GP nº 833/2015, a Comissão Gestora do Plano de Logística Sustentável do Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região, estabelecendo sua composição e atribuições.

Para mais informações, entre em contato com a Seção de Gestão Socioambiental:

E-mail: socioambiental@trt23.jus.br | Telefone: (65) 3648-4020

A Seção

A Seção de Gestão Socioambiental – SGSA é a unidade responsável por planejar, coordenar e executar os programas, projetos e ações de responsabilidade socioambiental do Tribunal.

São atribuições da Seção:

- Estimular a reflexão e a mudança dos padrões de compra, consumo e gestão documental;

- Fomentar ações que estimulem:

  • o aperfeiçoamento contínuo da qualidade do gasto público;
  • o uso sustentável de recursos naturais e bens públicos e o combate ao desperdício;
  • a redução do impacto negativo das atividades do órgão no meio ambiente com a adequada gestão dos resíduos gerados;
  • a promoção das aquisições e contratações sustentáveis;
  • a gestão sustentável de documentos, em conjunto com a unidade responsável;
  • a sensibilização e capacitação do corpo funcional, força de trabalho auxiliar e outras partes interessadas;
  • a qualidade de vida no ambiente de trabalho, em conjunto com a unidade responsável;

- Realizar estudos, pesquisas e levantamentos em sua área de competência;

- Zelar pela execução e monitoramento do Plano de Logística Sustentável do TRT da 23ª Região;

- Manter atualizados os indicadores mínimos para avaliação do desempenho ambiental deste Tribunal;

- Prestar apoio aos Gestores Regionais do Programa Trabalho Seguro e do Programa de Combate ao Trabalho Infatil e Estímulo à Aprendizagem;

- Manter cadastro de entidades interessadas em receber doações de bens.

Agentes Socioambientais

Os Agentes Socioambientais, todos voluntários, nos termos da Politica Nacional de Responsabilidade Socioambiental da Justiça do Trabalho, são os responsáveis por multiplicar informações sobre sustentabilidade e responsabilidade socioambiental, bem como estimular o comportamento proativo e o zelo pelas práticas socioambientais em suas unidades de trabalho.

O Agente Socioambiental é um servidor estratégico que viabiliza a plena realização das ações socioambientais e a obtenção dos melhores resultados para a sustentabilidade. Sua criação visa estabelecer uma política eficiente e eficaz de comprometimento com um meio ambiente sustentável.

 

Para ver a relação completa dos agentes socioambientais, clique aqui.

 

Você pode contribuir

UTILIZE A ECO-FONTE

O Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região adota em todos os seus computadores a EcoFont, estilo de fonte desenvolvida especialmente para economizar tinta nas impressões. Trata-se de fonte Open Source, sem restrições comerciais de uso. Pode ser usada em PC’s e MAC’s.

O diferencial da Ecofont é a existência de pequenos círculos dentro dos traços que formam as letras, que não são preenchidos com tinta quando impresso o documento. A fonte tem uma proporção diferenciada - o tamanho 10 da EcoFont equivale ao tamanho 12 da Times New Roman.

No que diz respeito ao consumo de tinta, em relação à fonte Arial, tamanho 11, a EcoFont, tamanho 10 (dimensões equivalentes), utiliza aproximadamente 26% a menos de tinta. Em comparação com a fonte Times New Roman, tamanho 12 (a mais comumente usada), a economia é de 12%, o que pode significar economia significativa de recursos financeiros, além dos evidentes ganhos sob o ponto de vista ambiental.

Em relação à qualidade da impressão, testes conduzidos pela Gerência de Tecnologia da Informação da AGU, e também realizados pela Coordenadoria de Infraestrutura e Comunicação do TRT23, demonstraram que praticamente não há perda de qualidade.

Para utilizar a Ecofont, nos computadores do Tribunal, basta selecionar a fonte "Spranq eco sans", na aba Página inicial do editor de textos (Word).

Acontece por aí

Neste espaço você fica sabendo o que acontece em outros órgãos e entidades na área da responsabilidade socioambiental.

Acesse as notícias abaixo e fique por dentro!

 

06/02/2017

“No Brasil, a salvação da biodiversidade, do meio ambiente e da economia está na agropecuária”, diz pesquisador da Embrapa

O BeefPoint realizou uma entrevista com o chefe geral da Embrapa Monitoramento por Satélite, Evaristo de Miranda, doutor em Ecologia. Confira a entrevista:

 

05/02/2017 - 10h11

Proliferação desordenada de espécies, inclusive exóticas, indica desequilíbrio ambiental

Erosão, extinção de animais e diminuição da oferta de recursos hídricos são apenas o lado escancarado do desequilíbrio ambiental no Cerrado. A situação se revela também por meio do aparecimento de espécies exóticas ou do aumento desordenado de nativas nas unidades de conservação. Isso porque os efeitos do parcelamento irregular do solo e a pressão exercida pela urbanização do território são sentidas também dentro das áreas de proteção. Assim, fauna e flora ficam expostas a alterações profundas.

 

28/11/2016 - 19h10

Debates sobre sustentabilidade na administração pública marcam a programação da Semana do Meio Ambiente no TRE-MG

Transformar paradigmas e superar a resistência a mudanças nos órgãos públicos foram dois dos pontos debatidos nas palestras da tarde desta segunda-feira (28), abertura do seminário Sustentabilidade: Gestão Consciente, Administração Eficiente, promovido pelo TRE como parte da programação da Semana do Meio Ambiente. Representantes do Tribunal Superior Eleitor, do Supremo Tribunal de Justiça e da Advocacia Geral da União falaram sobre gestão pública sustentável, histórico da responsabilidade social no Poder Judiciário e contratações sustentáveis no Poder Público.

 

04/11/2016

Responsabilidade socioambiental é tema de palestra gratuita em Cuiabá

Como ser uma empresa sustentável? Esse desafio é o tema do XI Fórum de Responsabilidade Socioambiental do PróUnim (Programa de Ação Social da Unimed Cuiabá), que será realizado no dia 17 de novembro no Centro de Eventos do Pantanal, às 19h , com palestra do jornalista Ricardo Voltolini. O evento é gratuito e irá debater como empresários podem transformar as instituições, com o tema "Os 10 desafios da gestão sustentável".

 

23/06/2016 - 16h22

Tribunal assina contrato para instalação de energia solar em Macapá
Em cerimônia na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8), foi assinado na manhã desta terça-feira (21/6), o contrato de fornecimento e instalação de sistema de energia fotovoltaico, mais conhecido como energia solar, no prédio do novo Fórum Trabalhista de Macapá​ (AP)​. A assinatura ​do inédito contrato ​foi realizada na presença de servidores da instituição, pelo Presidente do TRT8, desembargador Sérgio Rocha, e pelo proprietário e diretor técnico da empresa Servengloc, Jorge Viana de Castro.

 

Gestor da Informação: